Logotipo Dr. Igor Lepski Calil

Doença diverticular

atualizado em: 09/28/2023
Tempo de Leitura: 4 minutos
Sumário

A doença diverticular envolve a formação de pequenas bolsas no intestino. Os sintomas podem incluir dor abdominal e febre. O tratamento varia desde mudanças na alimentação até a necessidade de cirurgia.

Doença Diverticular - Imagem Ilustrativa

O intestino desempenha papéis vitais no processo digestivo e na saúde geral do organismo. Ele atua na absorção de nutrientes essenciais, vitaminas e minerais provenientes dos alimentos.

Além disso, o intestino abriga uma complexa comunidade de microorganismos benéficos, que auxilia na digestão, síntese de substâncias e regulação imunológica.

O intestino grosso pode ser afetado por várias doenças, incluindo a doença diverticular, doenças inflamatórias intestinais (como a doença de Crohn e a colite ulcerativa) e câncer colorretal, entre outras.

A seguir, falaremos mais sobre a doença diverticular, quais as possíveis causas, como identificar os sintomas, como é feita a investigação e como funciona o tratamento. Fique até o final e tire suas dúvidas!

O que é a doença diverticular?

A doença diverticular é uma patologia em que pequenas bolsas ou saculações, conhecidas como divertículos, se formam nas paredes do intestino, mais comumente no cólon. 

Existem dois tipos principais de doença diverticular: diverticulose e diverticulite. A diverticulose é a presença de divertículos sem sintomas, enquanto a diverticulite ocorre quando esses divertículos inflamam ou infectam, causando manifestações.

A gravidade e o risco associados à doença diverticular podem variar. A diverticulose geralmente não causa sintomas e é considerada menos grave. 

No entanto, a diverticulite pode ser mais preocupante, pois a inflamação ou infecção dos divertículos pode levar a complicações como abscessos, perfuração intestinal e formação de fístulas. 

A seguir, conheça a causa da doença diverticular e como ela se manifesta!

O que causa a doença diverticular?

As causas exatas da doença diverticular ainda não são completamente compreendidas, mas vários fatores associados foram identificados, como:

  • Idade igual ou maior que 40 anos
  • Dieta pobre em fibras
  • Histórico familiar da doença
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Tabagismo
  • Uso prolongado de anti-inflamatórios não esteroides
  • Histórico de constipação

É importante notar que ter um ou mais fatores associados não garante o desenvolvimento da doença diverticular

A prevenção e a adoção de um estilo de vida saudável, incluindo uma dieta rica em fibras, hidratação e exercícios físicos, ajudam a reduzir o risco.

Quais os sintomas da doença diverticular?

Os sintomas da doença diverticular podem variar com base no tipo e na gravidade da condição. Na diverticulose, muitas vezes não há sintomas evidentes, e a condição pode ser descoberta durante exames de rotina. 

No entanto, quando os divertículos se tornam inflamados ou infectados, resultando em diverticulite, podem surgir os seguintes sintomas:

  • Dor abdominal no quadrante inferior esquerdo do abdome
  • Febre baixa a moderada
  • Náuseas e vômitos
  • Alterações nos hábitos intestinais (constipação ou diarreia)
  • Distensão abdominal

É importante notar que as manifestações da doença diverticular podem se sobrepor a outras condições gastrointestinais. Se houver sintomas persistentes ou preocupantes, é fundamental procurar orientação médica.

Como é feito o diagnóstico da doença diverticular?

O diagnóstico da doença diverticular envolve avaliação clínica, exames de imagem e até procedimentos invasivos, descritos abaixo.

Histórico médico e exame físico

O médico coletará informações detalhadas sobre os sintomas, histórico e hábitos intestinais. Um exame físico pode ser realizado para avaliar a presença de anormalidades.

Exames de imagem

Tomografia computadorizada, ultrassonografia e raio-X abdominal podem ser úteis para avaliar os divertículos e a extensão da inflamação.

Exames laboratoriais

Testes de sangue podem ser realizados para verificar sinais de inflamação, como aumento dos níveis de glóbulos brancos.

Biópsia

Em casos raros, uma biópsia das áreas afetadas pode ser realizada durante um procedimento invasivo para descartar outras condições.

Colonoscopia

A colonoscopia pode ser realizada para visualizar diretamente o cólon. Porém, ela não é muito usada na diverticulite devido ao risco de complicações.

O diagnóstico preciso é importante para garantir que o tratamento instituído seja o melhor para aquele paciente. 

Em caso de haver sintomas sugestivos de doença diverticular, é importante procurar atendimento médico para uma avaliação completa. 

Como é realizado o tratamento da doença diverticular?

O tratamento da doença diverticular varia dependendo da gravidade dos sintomas e da presença de complicações. As opções de tratamento incluem:

Tratamento conservador

  • Repouso: principalmente durante episódios agudos de diverticulite
  • Jejum temporário: para contribuir com a recuperação do intestino
  • Hidratação: previne a desidratação e promover a recuperação

Medicamentos

  • Analgésicos: medicamentos para alívio da dor podem ser usados
  • Antibióticos: se houver sinais de infecção

Dieta

  • Dieta líquida ou de baixa fibra: visa diminuir a pressão no intestino
  • Dieta rica em fibras: após a recuperação, essa dieta pode ser indicada para manter fezes macias

Cirurgia

A cirurgia pode ser considerada em casos graves, recorrentes ou complicados de diverticulite, ou quando ocorrem complicações como abscessos, perfuração intestinal ou fístulas (comunicação anômala entre duas estruturas).

O tratamento específico dependerá da avaliação médica individual. Discutir as opções de tratamento com um médico é essencial para tomar decisões informadas sobre o manejo da doença diverticular.

Dr. Igor Lepski Calil
CRM: 130079
RQE: 100065 / 100066

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.
Fiz residência em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e em Transplante de Órgãos Abdominais no Hospital das Clínicas de São Paulo. Além disso, tive oportunidade de participar de uma Surgery Observation no Indiana University Hospital em 2012 nos Estados Unidos.
Meu foco é em casos complexos como Falência Intestinal, Transplante de Intestino e Multivisceral, além de Transplante de Fígado e Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática.

Agende sua Consulta

Atuo nos hospitais

magnifiercross