Logotipo Dr. Igor Lepski Calil

Tumores benignos do esôfago

atualizado em: 09/28/2023
Tempo de Leitura: 3 minutos
Sumário

Os tumores benignos do esôfago são crescimentos não cancerígenos que se formam no revestimento interno do órgão. Geralmente assintomáticos, mas podem causar dificuldade na deglutição.

Tumores benignos do esôfago - Imagem Ilustrativa

Introdução

Os tumores benignos do esôfago são crescimentos não cancerígenos que se formam no revestimento interno do órgão. Geralmente, esses tumores são descobertos incidentalmente durante exames médicos e, na maioria dos casos, não causam sintomas graves. No entanto, em alguns casos, eles podem causar dificuldade na deglutição ou dor. 

O esôfago desempenha um papel crucial no processo de alimentação e digestão. É um tubo muscular que conecta a boca ao estômago, permitindo o transporte do alimento ingerido até o órgão digestivo. 

Além disso, o esôfago possui um anel muscular na sua parte inferior, chamado esfíncter esofágico inferior, que impede o refluxo do ácido estomacal para o esôfago, evitando danos ao seu revestimento. Portanto, o esôfago é fundamental para a função adequada do sistema digestivo e o bem-estar do organismo.

Nesse artigo, abordaremos em detalhes os tumores benignos do esôfago, incluindo causas, sintomas, diagnóstico e tratamento. Leia até o final e tire suas dúvidas!

Quais as causas de tumores benignos do esôfago?

Os tumores benignos do esôfago podem ter diversas causas. Alguns dos principais fatores que podem contribuir para o seu desenvolvimento incluem a presença de hérnias hiatais, que ocorrem quando parte do estômago se projeta para cima através do diafragma, tabagismo, consumo excessivo de álcool, doenças crônicas de refluxo gastroesofágico (DRGE) e condições inflamatórias do esôfago, como a esofagite. 

Além disso, certos fatores genéticos e predisposições hereditárias também podem aumentar o risco de tumores benignos do esôfago. No entanto, é importante ressaltar que nem sempre é possível determinar uma causa específica para esses tumores e, em muitos casos, eles são descobertos incidentalmente durante exames médicos de rotina.

Quais os sintomas de tumores benignos do esôfago?

Os tumores benignos do esôfago geralmente não causam sintomas evidentes e são frequentemente descobertos incidentalmente durante exames médicos realizados por outras razões. 

No entanto, em alguns casos, podem surgir sintomas como dificuldade na deglutição (disfagia), sensação de obstrução ou dor ao engolir, dor no peito, azia persistente e perda de peso não intencional. 

É importante ressaltar que esses sintomas não são exclusivos de tumores benignos do esôfago e podem estar relacionados a outras condições, por isso é fundamental procurar a avaliação de um médico para obter um diagnóstico adequado.

Como é realizado o diagnóstico de tumores benignos do esôfago?

O diagnóstico de tumores benignos do esôfago pode ser realizado por meio de diferentes procedimentos e exames médicos. 

Um dos métodos mais comuns é a endoscopia digestiva alta, em que um tubo flexível com uma câmera na ponta é inserido pela boca para visualizar o esôfago e identificar a presença de tumores ou outras anormalidades. 

Durante o procedimento, também é possível realizar uma biópsia, que consiste na coleta de uma pequena amostra de tecido para análise laboratorial. 

Além disso, exames de imagem, como radiografias, tomografias computadorizadas (TC) e ressonância magnética (RM), podem ser utilizados para avaliar a extensão e características dos tumores. 

O diagnóstico final de tumores benignos do esôfago é baseado na combinação dos achados clínicos, resultados dos exames e avaliação médica. 

Como é realizado o tratamento de tumores benignos do esôfago?

O tratamento dos tumores benignos do esôfago depende do tipo, tamanho e localização do tumor, bem como dos sintomas apresentados pelo paciente. 

Em muitos casos, quando os tumores são pequenos e assintomáticos, pode não ser necessário nenhum tratamento específico, apenas acompanhamento regular para monitorar possíveis alterações. 

No entanto, se os sintomas forem significativos ou houver risco de complicações, opções de tratamento podem incluir ressecção endoscópica do tumor, remoção cirúrgica por via laparoscópica ou aberta, terapia a laser, terapia fotodinâmica, dilatação esofágica para aliviar a disfagia, entre outros. 

A escolha do tratamento adequado para tumores benignos do esôfago é feita pelo médico, levando em consideração as características individuais do paciente e a gravidade da condição. Por isso, é importante buscar orientação médica para determinar o melhor curso de ação.

Dr. Igor Lepski Calil
CRM: 130079
RQE: 100065 / 100066

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.
Fiz residência em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e em Transplante de Órgãos Abdominais no Hospital das Clínicas de São Paulo. Além disso, tive oportunidade de participar de uma Surgery Observation no Indiana University Hospital em 2012 nos Estados Unidos.
Meu foco é em casos complexos como Falência Intestinal, Transplante de Intestino e Multivisceral, além de Transplante de Fígado e Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática.

Agende sua Consulta

Atuo nos hospitais

magnifiercross