Logotipo Dr. Igor Lepski Calil

Falência intestinal

atualizado em: 09/28/2023
Tempo de Leitura: 5 minutos
Sumário

Falencia intestinal é uma condição onde o trato digestivo não consegue  manter sua função primordial de  absorção de macro e micro elementos e equilíbrio hidroletrolitico do corpo. Saiba mais sobre a falência intestinal, suas causas e tratamentos.

Falência Intestinal - Imagem Ilustrativa

Introdução

A falência intestinal, é uma condição na qual o intestino não consegue desempenhar suas funções de forma adequada. Pode ocorrer devido a lesões, obstruções, doenças inflamatórias, complicações pós-cirúrgicas ou anomalias congênitas.

O intestino desempenha um papel fundamental no organismo. Ele é responsável pela digestão e absorção de nutrientes dos alimentos, permitindo que o corpo obtenha os componentes essenciais para o funcionamento adequado. Além disso, o intestino absorve água e eletrólitos, mantendo o equilíbrio hidroeletrolítico necessário para a saúde geral.

Além das funções de digestão e absorção, o intestino também possui uma importante função imunológica. Ainda, o revestimento intestinal atua como uma barreira protetora, impedindo a entrada de bactérias e toxinas no corpo. Assim, a falência intestinal pode levar a deficiências nutricionais, desidratação, desequilíbrios eletrolíticos, perda de peso e comprometimento geral da saúde.

Nesse artigo, abordaremos em detalhes a falência intestinal, incluindo causas, sintomas, diagnóstico e tratamento. Leia até o final e tire suas dúvidas!

Quais as causas de falência intestinal?

A falência intestinal pode ser causada por uma variedade de fatores, incluindo:

  • Síndrome do intestino curto, condição associada a perda de grande massa de intestino restando um segmento intestinal incapaz de absorver os nutrientes em volume adequado associado a descompensação hidroeletrolítica. Pode ser secundário a várias condições como Tromboses nos vasos do intestino, hérnias internas, traumas abdominais graves 
  • Doenças inflamatórias intestinais: condições como doença de Crohn e colite ulcerativa podem causar inflamação crônica no intestino, afetando sua capacidade de funcionar adequadamente
  • Complicações pós-cirúrgicas: após cirurgias abdominais, podem ocorrer complicações que levam à disfunção do intestino, como a formação de fístulas, aderências ou isquemia 
  • Doenças vasculares: problemas de circulação, como trombose mesentérica ou embolia arterial, podem resultar em falta de suprimento de sangue para o intestino, causando falência intestinal
  • Anomalias congênitas: algumas condições congênitas, malformações intestinais ou doenças metabólicas hereditárias, podem levar à falência intestinal desde os primeiros anos de vida
  • Infecções graves: como a enterocolite necrosante em recém-nascidos, podem causar danos significativos ao tecido intestinal e resulta na nessecidade de uma retirada de grande parte do intestino levando a SIC e por fim a falência intestinal.

Quais os sintomas de falência intestinal?

A falência intestinal pode apresentar uma variedade de sintomas, que podem variar dependendo da causa subjacente e da extensão do comprometimento intestinal. Alguns dos sintomas comuns incluem:

  • Distensão abdominal: o acúmulo de gás e líquidos no intestino pode levar a um aumento do volume abdominal, causando desconforto;
  • Dor abdominal: a dor abdominal pode ser constante, intermitente ou em cólicas;
  • Diarreia ou constipação: a falência intestinal pode resultar em mudanças nos movimentos intestinais, causando esses sintomas;
  • Náuseas e vômitos: a incapacidade do intestino de processar adequadamente os alimentos pode levar a essas manifestações;
  • Fadiga e fraqueza: a falta de absorção adequada de nutrientes pode causar fadiga e fraqueza generalizada;
  • Desidratação: a diminuição da capacidade de absorção de água pelo intestino pode levar à desidratação;
  • Distúrbios nutricionais: deficiências nutricionais podem se desenvolver devido à incapacidade do intestino de absorver adequadamente vitaminas, minerais e outros nutrientes essenciais;
  • Alterações no estado mental: em casos graves de falência intestinal, a disfunção intestinal pode levar a confusão, dificuldade de concentração e alterações de humor.

É importante observar que esses sintomas podem ser indicativos de outras condições além da falência intestinal. Por isso, é fundamental buscar avaliação médica para um diagnóstico adequado.

Como é realizado o diagnóstico de falência intestinal?

O diagnóstico de falência intestinal envolve avaliação clínica, histórico médico, exame físico e uma combinação de testes e exames para identificar a causa subjacente e avaliar a função intestinal. Alguns dos métodos incluem:

  • Exames de imagem: radiografias abdominais, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) podem ser usadas para identificar obstruções, distensões, inflamações, perfurações ou outras anormalidades no intestino;
  • Endoscopia: permite visualizar diretamente o revestimento interno do intestino usando um tubo flexível com uma câmera na extremidade;
  • Testes de função intestinal: como o teste de absorção de gordura ou o teste de absorção de açúcares, para determinar a capacidade do intestino de digerir e absorver nutrientes;
  • Biópsia: uma amostra do tecido é obtida para análise microscópica a fim de identificar doenças inflamatórias, alterações celulares ou outras anormalidades;
  • Exames laboratoriais: exames de sangue podem ser realizados para avaliar a contagem de células sanguíneas, a função hepática, os níveis de eletrólitos, a dosagem de citrulina, a presença de marcadores inflamatórios ou indicadores de desequilíbrios nutricionais.

O diagnóstico da falência intestinal pode ser complexo e requer uma abordagem individualizada, considerando os sintomas, a história médica do paciente e os resultados dos exames realizados. 

Como é realizado o tratamento de falência intestinal?

O tratamento da falência intestinal depende da causa subjacente, da extensão do comprometimento intestinal e das necessidades específicas de cada paciente. 

O objetivo principal do tratamento é restaurar a função intestinal, promover a absorção adequada de nutrientes e aliviar os sintomas associados. Alguns dos métodos de tratamento serão descritos abaixo.

Terapia nutricional

A terapia nutricional desempenha um papel fundamental no tratamento da falência intestinal. Isso pode envolver a administração de dietas especiais, suplementos nutricionais, modificação da consistência dos alimentos e principalmente nas condições mais graves e crônicas usamos a  nutrição parenteral total intermitente  que é a administração de nutrientes diretamente na corrente sanguínea.

Medicamentos

Medicamentos podem ser prescritos para auxiliar no retardo do trânsito intestinal, diminuição de secreções próprias do trato digestivo administraçao de enzimas digestivas e por fim hoje temos medicações que levam ao aumento da quantidade de células do intestino fazendo com que um segmento curto de intestino absorva como um segmento bem mais longo.

Cirurgia

Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para corrigir obstruções intestinais, remover áreas danificadas ou tratar complicações específicas. Isso pode incluir procedimentos como ressecção intestinal, reconstrução do trânsito intestinal, cirurgia de alongamento do intestino e de restrição da velocidade do trânsito intestinal, e numa condição crônica e falência das demais terapias teremos o transplante intestinal.

Gerenciamento de complicações

O tratamento também pode envolver o gerenciamento de complicações decorrentes da falência intestinal, como desequilíbrios hidroeletrolíticos, infecções, obstruções recorrentes ou deficiências nutricionais.

Suporte psicológico e nutricional

É essencial fornecer suporte psicológico e nutricional adequado ao paciente, pois a falência intestinal pode ter um impacto significativo na qualidade de vida. 

Cada caso de falência intestinal deve ter um tratamento personalizado de acordo com as necessidades individuais do paciente. Uma abordagem multidisciplinar envolvendo gastroenterologistas, cirurgiões, nutricionistas e outros profissionais de saúde é frequentemente necessária para oferecer um plano de tratamento adequado e monitorar a progressão do paciente ao longo do tempo.

Dr. Igor Lepski Calil
CRM: 130079
RQE: 100065 / 100066

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.
Fiz residência em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e em Transplante de Órgãos Abdominais no Hospital das Clínicas de São Paulo. Além disso, tive oportunidade de participar de uma Surgery Observation no Indiana University Hospital em 2012 nos Estados Unidos.
Meu foco é em casos complexos como Falência Intestinal, Transplante de Intestino e Multivisceral, além de Transplante de Fígado e Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática.

Agende sua Consulta

Atuo nos hospitais

magnifiercross