Logotipo Dr. Igor Lepski Calil

Esteatose hepática

atualizado em: 09/28/2023
Tempo de Leitura: 4 minutos
Sumário

A esteatose hepática, ou doença hepática gordurosa, é caracterizada pelo acúmulo de gordura no fígado. Pode ser causada por fatores como obesidade, diabetes, consumo de álcool e dieta inadequada. O tratamento envolve mudanças no estilo de vida e perda de peso.

ESTEATOSE HEPÁTICA - Imagem Ilustrativa

Introdução

A esteatose hepática, também conhecida como doença hepática gordurosa, é uma condição na qual ocorre acúmulo excessivo de gordura no fígado. Entre as causas estão o consumo excessivo de álcool, obesidade, diabetes e dieta inadequada. Quando crônica, essa condição pode levar a inflamação e danos no fígado, podendo progredir para cirrose e principalmente o surgimento de tumores hepáticos malignos.

O fígado desempenha um papel vital no organismo, com múltiplas funções importantes. Ele é responsável pelo metabolismo de nutrientes, incluindo carboidratos, lipídios e proteínas. Além disso, o fígado produz bile, uma substância essencial para a digestão e absorção de gorduras, e está envolvido na síntese de colesterol, lipídios e proteínas. 

Além disso, o fígado é responsável pela desintoxicação do organismo e também desempenha um papel crucial na regulação do equilíbrio de glicose no sangue e no armazenamento de vitaminas e minerais. 

Nesse artigo, abordaremos em detalhes a esteatose hepática, incluindo causas, sintomas, diagnóstico e tratamento. Leia até o final e tire suas dúvidas!

Quais as causas de esteatose hepática?

A esteatose hepática pode ser causada por uma variedade de fatores, sendo os principais:

  • Consumo excessivo de álcool: é uma das principais causas de esteatose hepática alcoólica, visto que esse agente sobrecarrega o fígado, interferindo na sua capacidade de processar a gordura adequadamente;
  • Obesidade e síndrome metabólica: esses fatores estão frequentemente associados a alterações no metabolismo lipídico e no processamento de gorduras pelo fígado;
  • Alimentação inadequada: uma dieta rica em gorduras saturadas, açúcares e carboidratos refinados pode contribuir para o desenvolvimento da esteatose hepática;
  • Medicamentos: alguns medicamentos, como corticosteroides, tamoxifeno, amiodarona e antirretrovirais, podem causar esteatose hepática.

É importante destacar que a esteatose hepática pode ser reversível se as causas subjacentes forem tratadas precocemente. 

Quais os sintomas de esteatose hepática?

A esteatose hepática é assintomática, os sintomas presentes estão mais comumente relacionados aos fatores que levam à esteatose, como o diabetes, obesidade, erro alimentar e o sedentarismo. Em estágios avançados da esteatose, já na sua fase de transformação em fibrose e cirrose teremos os sintomas dessa doença já instalada.

Como é realizado o diagnóstico de esteatose hepática?

O diagnóstico de esteatose hepática geralmente envolve uma abordagem combinada, que inclui histórico médico, exame físico, exames laboratoriais e exames de imagem, detalhados a seguir.

  • Exames de imagem: a esteatose hepática pode ser visualizada por meio de exames de imagem, como ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM), elastografia hepática, fibroscan, ressonância com elastografia hepática;
  • Biópsia hepática: em alguns casos, uma biópsia hepática pode ser recomendada para confirmar o diagnóstico e avaliar a gravidade da esteatose hepática.

É importante consultar um médico para obter um diagnóstico preciso, pois a esteatose hepática pode ser assintomática em estágios iniciais e o diagnóstico precoce é essencial para iniciar o tratamento adequado e evitar a progressão da doença.

Como é realizado o tratamento de esteatose hepática?

O tratamento da esteatose hepática envolve uma abordagem que visa controlar os fatores de risco, promover mudanças no estilo de vida e tratar as condições subjacentes, conforme descrito abaixo.

Mudanças no estilo de vida

A perda de peso gradual é uma das medidas mais eficazes no tratamento da esteatose hepática. Isso é alcançado por meio de uma combinação de dieta saudável, exercícios físicos regulares e controle do consumo de álcool. 

Controle de condições subjacentes

Se a esteatose hepática estiver associada a condições como obesidade, diabetes, resistência à insulina ou hiperlipidemia, é importante controlar e tratar essas condições com a orientação do médico. 

Evitar o consumo de álcool

Se a esteatose hepática for causada pelo consumo excessivo de álcool, é essencial interromper o consumo ou reduzi-lo significativamente. O médico pode oferecer suporte e encaminhamento para programas de reabilitação ou grupos de apoio, se necessário.

Monitoramento regular

É importante realizar exames de acompanhamento para avaliar a progressão da doença e a resposta ao tratamento. 

Em casos mais graves, quando a esteatose hepática progride para uma inflamação mais severa (esteato-hepatite) ou cirrose, pode ser necessário avaliar opções de tratamento adicionais.

É fundamental seguir as orientações do médico e adotar um estilo de vida saudável para controlar a esteatose hepática. O tratamento bem-sucedido geralmente leva a uma redução da gordura no fígado, melhora da função hepática e redução do risco de complicações hepáticas a longo prazo.

Dr. Igor Lepski Calil
CRM: 130079
RQE: 100065 / 100066

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.
Fiz residência em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e em Transplante de Órgãos Abdominais no Hospital das Clínicas de São Paulo. Além disso, tive oportunidade de participar de uma Surgery Observation no Indiana University Hospital em 2012 nos Estados Unidos.
Meu foco é em casos complexos como Falência Intestinal, Transplante de Intestino e Multivisceral, além de Transplante de Fígado e Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática.

Agende sua Consulta

Atuo nos hospitais

magnifiercross