Logotipo Dr. Igor Lepski Calil

Como funciona a cirurgia do refluxo e quando é indicada?

atualizado em: 10/02/2023
Tempo de Leitura: 3 minutos
Sumário

A cirurgia do refluxo é uma solução eficaz para combater os sintomas dessa condição gastrointestinal. Descubra como ela pode aliviar a azia, regurgitação e outros desconfortos.

Imagem ilustrativa - Como-funciona-a-cirurgia-do-refluxo-e-quando-e-indicada

Introdução

O sistema gastrointestinal humano é uma complexa rede de órgãos responsáveis pela digestão e absorção de nutrientes. Dois desses órgãos essenciais são o estômago e o esôfago. 

O estômago é um órgão muscular em forma de bolsa que desempenha um papel fundamental na digestão. Ele secreta ácido e enzimas digestivas para quebrar os alimentos em substâncias mais simples. O esôfago, por outro lado, é um tubo muscular que conecta a boca ao estômago, permitindo a passagem dos alimentos ingeridos.

A conexão entre o estômago e o esôfago é mantida por um anel muscular chamado esfíncter esofágico inferior, que normalmente impede que o conteúdo gástrico retorne para o esôfago. No entanto, quando esse mecanismo falha, ocorre o refluxo gastroesofágico, um problema que pode causar uma série de sintomas.

Neste artigo, vamos explorar a cirurgia do refluxo, incluindo o que é o refluxo e quais os sintomas, quais as indicações da cirurgia, como é realizada e quais cuidados são necessários após o procedimento. Leia até o final e saiba mais!

O que é o refluxo e quais os sintomas?

O refluxo gastroesofágico ocorre quando o conteúdo do estômago, incluindo ácido gástrico e alimentos parcialmente digeridos, retorna para o esôfago. Isso acontece quando o esfíncter esofágico inferior não se fecha adequadamente, permitindo que o conteúdo do estômago flua na direção contrária, podendo necessitar da cirurgia do refluxo.

Os sintomas comuns do refluxo incluem:

  • Azia: sensação de queimação ou desconforto no peito, geralmente após as refeições.
  • Regurgitação: sensação do ácido ou alimentos subindo da parte de trás da garganta.
  • Dor no peito: pode ser confundida com dor cardíaca, o que é uma preocupação comum.
  • Tosse crônica: devido à irritação do esôfago.
  • Rouquidão: causada pela irritação da garganta.

Em que condições a cirurgia do refluxo é indicada?

A cirurgia do refluxo é uma opção considerada quando os sintomas do refluxo gastroesofágico se tornam graves e não respondem bem ao tratamento médico comum. 

As condições que podem levar à indicação de cirurgia do refluxo incluem:

  • Esôfago de Barrett: é uma condição em que o revestimento do esôfago é danificado pelo ácido gástrico, aumentando o risco de câncer de esôfago.
  • Estenose esofágica: é um estreitamento anormal do esôfago devido a cicatrizes causadas pelo refluxo crônico.
  • Sintomas persistentes: quando os sintomas do refluxo, como azia e regurgitação, não melhoram com medicamentos ou mudanças no estilo de vida.
  • Complicações do refluxo: como o desenvolvimento de úlceras no esôfago ou sangramento.

Como é realizada a cirurgia do refluxo?

Existem várias abordagens cirúrgicas para tratar o refluxo gastroesofágico. A mais comum é a cirurgia de fundoplicatura, em que o cirurgião envolve a parte superior do estômago ao redor do esôfago, reforçando o esfíncter esofágico inferior, impedindo que o ácido gástrico retorne ao esôfago.

A cirurgia do refluxo de fundoplicatura pode ser realizada por laparoscopia, uma abordagem minimamente invasiva que envolve pequenas incisões no abdome e o uso de um laparoscópio (um tubo fino com uma câmera) para orientar o cirurgião. Outra abordagem é a cirurgia aberta, que envolve uma incisão maior no abdome.

A escolha da técnica da cirurgia do refluxo dependerá das necessidades individuais do paciente e da experiência do cirurgião.

Quais os cuidados necessários após a cirurgia do refluxo?

Após a cirurgia do refluxo, é essencial seguir as orientações do médico para uma recuperação bem-sucedida. Alguns cuidados necessários incluem:

  • Alimentação: nos primeiros dias após a cirurgia, a dieta será limitada a alimentos líquidos e macios. Gradualmente, o paciente pode retornar a uma dieta normal, evitando alimentos que desencadeiam o refluxo.
  • Repouso: descansar é importante para permitir a cicatrização adequada.
  • Medicamentos: o médico pode prescrever medicamentos para controlar a dor e reduzir a inflamação.
  • Atividade física: evite atividades físicas intensas por um período determinado pelo médico.
  • Acompanhamento médico: é essencial comparecer às consultas de acompanhamento.

A cirurgia do refluxo é uma opção eficaz para tratar o refluxo gastroesofágico quando os sintomas se tornam graves e não respondem ao tratamento convencional. Ela oferece alívio duradouro e pode prevenir complicações sérias, como o câncer de esôfago. 

No entanto, a decisão de fazer a cirurgia deve ser tomada com base na avaliação cuidadosa do paciente e em consulta com um cirurgião experiente.

Dr. Igor Lepski Calil
CRM: 130079
RQE: 100065 / 100066

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.
Fiz residência em Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e em Transplante de Órgãos Abdominais no Hospital das Clínicas de São Paulo. Além disso, tive oportunidade de participar de uma Surgery Observation no Indiana University Hospital em 2012 nos Estados Unidos.
Meu foco é em casos complexos como Falência Intestinal, Transplante de Intestino e Multivisceral, além de Transplante de Fígado e Cirurgia Hepato-Bilio-Pancreática.

Gostou? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende sua Consulta

Atuo nos hospitais

magnifiercross